segunda-feira, 20 de março de 2017

A2016










segunda-feira, 13 de março de 2017

Taesa - A2016 - Press Release

O EBITDA Regulatório, métrica que representa a geração de caixa operacional da empresa, totalizou R$ 1.492,8 MM em 2016, 5,6% acima de 2015, dos quais R$ 388,4 MM no 4T16. A Margem EBITDA Regulatória anual foi de 89,2%, enquanto a trimestral contabilizou 89,0%.

O lucro líquido IFRS de 2016 totalizou R$ 862,1 MM, redução de 5,2% em relação a 2015. No resultado trimestral, o montante foi de R$ 183,6 MM, 40,4% menor que no 4T15. O principal impacto na comparação trimestral do resultado IFRS é o reconhecimento do ajuste inflacionário mensal, uma vez que no 4T16 o IGPM e o IPCA acumulados foram de 0,33% e 0,52%, respectivamente, enquanto no 4T15 os valoresforam de 4,42% para o IGPM e 2,39% para o IPCA.

Atualmente, a Taesa detém 33 concessões ou participações, sendo 22 da categoria II e 11 da categoria III, totalizando 11.302 km de linhas, operacionais e em construção, com tensões entre 230 e 500 kV.


sábado, 11 de março de 2017

Alpagatas - A2016







Relatório da Administração

O marco no desempenho da Alpargatas em 2016 foi a evolução dos negócios no Brasil, cujo resultado se destacou na comparação com o de outras empresas nacionais de bens de consumo. Mesmo em um ano de forte retração no consumo, resultante das adversidades na economia, a Alpargatas continuou a inovar crescer no varejo e investir nas operações internacionais e em projetos estruturantes e encerrou negócios que não traziam o retorno esperado. Todo esse trabalho resultou no crescimento de 36,2% no lucro líquido consolidado e em maior valor aos acionistas, que se beneficiaram da valorização de 45,1% das ações preferenciais e foram remunerados em R$ 132,6 milhões em forma de juros sobre o capital próprio, equivalente a 82% do lucro líquido da controladora distribuível no ano. Outros acontecimentos importantes do período foram:
• Crescimento de 11,5% no volume de sandálias no mercado interno, o que levou ao ganho de dois pontos de market share.
• Abertura de 29 lojas Havaianas no Brasil e 17 no exterior, totalizando 578 pontos de venda da marca. O varejo da Alpargatas encerrou o ano com 698 lojas no mundo.
• Atuação direta em mais quatro países: Croácia, Eslovênia, Suíça e Canadá.
• Inauguração do segundo centro de distribuição de sandálias na Europa, em Liège, na Bélgica.
• Desenho do novo modelo de operação internacional de sandálias, com a definição de regiões prioritárias de crescimento.
• Aumento da margem bruta de Mizuno, com o avanço da nacionalização da produção de calçados.
• Closing da venda das marcas Topper e Rainha no Brasil.
• Anúncio do término da licença da marca Timberland.
• Lançamento da plataforma de e-commerce da Osklen.
• Geração de caixa operacional de R$ 288,3 milhões.
• Oferta pública de aquisição de ações ordinárias realizada pela J&F Investimentos que aumentou para 54% a sua participação no capital total da Alpargatas.

1. RESULTADO
1.1. RECEITA LÍQUIDA

Acumulou R$ 4.054,4 milhões, alta de 0,4% na comparação com 2015, impactada pelo crescimento de
12,1% na receita gerada no Brasil. Destaque foi o aumento de 19,6% no faturamento do negócio Sandálias no País, decorrente do preço médio maior e dos incrementos de 11,5% e 13,6% no volume de sandálias e no de produtos de extensão de Havaianas, respectivamente.

1.2. LUCRO BRUTO

Somou R$ 1.800,3 milhões, valor 4,4% maior que o de 2015, impulsionado pelo aumento da margem bruta no Brasil em 1,7 ponto percentual.

1.3. EBITDA 

Foi de R$ 595,8 milhões, montante 5,8% superior ao de 2015, com crescimento especificamente no Brasil, de 42,5%. A margem, de 14,7%, subiu 0,7 ponto percentual. A seguir está demonstrado o cálculo do EBITDA conforme orientação da Instrução CVM 527.

1.4. LUCRO LÍQUIDO

Totalizou R$ 358,4 milhões em 2016, com margem líquida de 8,8%. Desconsiderando-se o valor nãorecorrente das despesas com a mudança de controle, o lucro líquido cresceu 25,9% ante 2015, sendo a geração de EBITDA o fator que mais contribuiu para essa evolução no ano.

clique aqui e veja na ínteegra

Alupar - A2016





Relatório da Administração

Transmissão

No segmento de transmissão de energia elétrica, possuímos participação em ativos no Brasil e na Colômbia. No Brasil, possuímos 25 concessões de transmissão de energia elétrica, sendo 18 operacionais e 7 em fase de construção, que possuem cronograma de entrada em operação comercial entre 2018 e 2022. Além disso, contamos com uma linha de transmissão na Colômbia em fase de construção, que possui cronograma de entrada em operação comercial até 2021, sendo esta concessão vitalícia. Dessa forma, consolidamos 6.788 km de linhas de transmissão, sendo 6.588 km no Brasil e 200 km na Colômbia.

Geração

A Alupar também atua na geração de energia renovável por meio de UHEs, PCHs, e parques eólicos no Brasil, na Colômbia e no Peru. Nosso portfólio de ativos em operação totaliza uma capacidade instalada de 550,0 MW em operação e 137,0 MW em implantação, além de mais de 3.000 MW em prospecção.

Desempenho Econômico Financeiro

Em 28 de junho de 2016, foi publicada a resolução homologatória nº 2.098, que estabeleceu as novas RAPs das controladas e coligadas da Alupar, para o ciclo de 12 meses, a partir de 1º de julho de 2016 a 30 de junho de 2017, estabelecendo reajuste de 9,32% para contratos indexados pelo IPCA e 11,09% para contratos indexados pelo IGP-M.

No 4T16, a Receita Líquida Ajustada atingiu R$ 364,4 milhões, 6,8% superior aos R$ 341,3 milhões apurados no 4T15. Em 2016, a Receita Líquida Ajustada atingiu R$ 1.514,0 milhões, 6,8% superior aos R$ 1.417,8 milhões apurados em 2015.

No 4T16, o EBITDA atingiu R$ 359,8 milhões, 29,2% superior aos R$ 278,4 milhões apurados no 4T15. Em 2016, o EBITDA atingiu R$ 1.329,5 milhões, 15,5% superior aos R$ 1.150,8 milhões apurados em 2015.

No 4T16, o Lucro Líquido totalizou R$ 139,1 milhões, R$ 97,1 milhões superior aos R$ 42,0 milhões registrados no 4T15. Em 2016, o Lucro Líquido totalizou R$ 310,8 milhões, 48,6% superior aos R$ 209,2 milhões registrados em 2015. 

Investimentos

Em 2016 foram realizados investimentos totais da ordem de R$ 413,3 milhões em nossas empresas, sendo R$ 39,8 milhões investidos no segmento de transmissão, R$ 368,9 milhões no segmento de geração e R$ 4,6 milhões no desenvolvimento de novos negócios, ante R$ 768,7 milhões registrados no 4T15, quando R$ 75,8 milhões foram investidos no segmento de transmissão, R$ 688,0 milhões foram investidos no segmento de geração e R$ 4,9 milhões no desenvolvimento de novos negócios. O volume de investimentos realizados em 2016 reflete a implantação da UHE La Virgen, a finalização da PCH Morro Azul (Risaralda) e dos RBNI nas transmissoras Transirapé, ETVG e STC.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Fleury - A2016






Dados de Relatório da Administração

R$ 2,3 bilhões de receita e R$ 228,7 milhões de lucro líquido;

60,3 milhões de exames produzidos; 187,2 mil assessorias médicas e 72,6 mil relatórios integrados

3,5 mil testes ofertados em 37 áreas;

8,4 mil funcionários e 1,7 mil médicos prestando serviços;

6 marcas presentes nas maiores regiões metropolitanas do Brasil e posicionadas nos setores premium
e intermediário

clique aqui e veja na íntegra

quinta-feira, 9 de março de 2017

Copasa - A2016







Dados do Relatório de Administração

A Companhia apurou um lucro líquido de R$434,2 milhões no exercício, ante um prejuízo de R$11,6 milhões em 2015. 

A receita operacional líquida alcançou o montante de R$3,64 bilhões, crescimento de 15,9% em relação ao ano anterior. 

Os custos e despesas, por sua vez, atingiram R$2,79 bilhões, com redução de 2,1% quando comparadas com as do exercício anterior. A inflação no período, medida pelo IPCA, ficou em 6,3%.

A geração de caixa operacional (EBITDA ajustado) alcançou R$1,40 bilhão em 2016, com crescimento de 35,2% em relação ao observado em 2015, refletindo a recuperação das receitas de água e esgoto no período e as medidas adotadas para redução de custos, como os programas de desligamento voluntário, melhorias da eficiência operacional e da gestão dos processos de contratação de insumos e serviços.

A dívida líquida foi reduzida em R$236 milhões, passando de R$3,14 bilhões ao final do ano de 2015 para R$2,90 bilhões em 2016, atingindo o menor valor registrado desde o encerramento do exercício de 2013, resultado do rigor imprimido à gestão do caixa e na busca do equilíbrio econômico-financeiro da Companhia. Como consequência, o índice de alavancagem da Empresa, medido pela razão entre a "dívida líquida" e o "EBITDA ajustado" no encerramento do exercício, reduziu de 3,6x, em 2015 para 2,1x, em 2016. A dívida bruta também apresentou redução, passando de R$3,69 bilhões para R$3,52 bilhões no mesmo período.

clique aqui e veja na íntegra

CSU Card






Dados relatório de Administração:

Em 2016, a receita bruta da Companhia totalizou R$ 514,9 milhões, 2,3% superior ao ano de 2015.
O fortalecimento operacional das divisões de negócios consolidadas na unidade CSU.CardSystem fizeram com que sua representatividade na receita bruta consolidada da Companhia atingisse 55,6% em 2016 (54,2% em 2015).

Os resultados da unidade CSU.CardSystem foram beneficiados pela divisão de processamento de cartões (CardSystem), que encerrou o quarto trimestre de 2016 com 22,9 milhões de cartões cadastrados e 19,5 milhões de cartões faturados,crescimentos anuais de 6,1% e de 5,9%, respectivamente. 

clique aqui e veja na íntegra